Herança da minha avó

Atualizado: 18 de jul. de 2021

Isso mesmo, a material, física, e muitas vezes financeiramente interessante.


Você deve estar pensando "que interesseira ela, só pensa na herança da família", e talvez você não esteja errada(o), mas deixa eu me explicar melhor para tentar me defender.




Quando desenvolvo uma coleção eu normalmente parto do editorial, eu sei que qualquer escola de moda vai dizer que está errado, mas hoje em dia eu sigo as minhas regras, dessa vez foi diferente, comecei de um propósito, eu que não sou nem vegetariana e nem vegana ainda assim não aceito o uso de peles animais na moda, quando costurava pra fora e alguém chegava com uma jaqueta de couro sempre me certificava se era couro legítimo ou não, caso a resposta fosse "positiva"pedia para que o cliente procurasse outra profissional porque eu não o faria, não importava quão dura estava de grana, não era honesto comigo mesmo. E achei interessante a idéia de fazer uma coleção de peles fakes, então construi a narrativa e desenvolvi algumas artes para solidificar a idéia, a criação acontece muito rápido na minha mente e como sou pilotista e costureira por profissão meu desenho é a piloto (primeira peça de cada modelo idealizado), diferentemente das outras coleções nessa não havia estruturado a proposta das fotos ainda, foi quando eu vi a jaqueta wild (nossa jaqueta de pele fake onçada) tive um estalo e pensei que encaixaria muito bem com uma proposta de shooting quase cafona, tudo muito over, camadas e texturas em cima de elementos coloridos e exóticos(pra não chamar de estranhos).

Precisa de um lugar, teria que ser tipo um antiquário, ou um brechó, ou um mercado de pulgas, não era necessário transportar para outra época, mas era necessário ter muita coisa no mesmo lugar, é que pessoas como eu que acumulam muitas coisas gostam de as ter para guardar várias memórias, pelo menos é assim comigo.

Minha avó tem uma chácrinha onde ela viveu na infância e início do casamento que depois de um tempo não era mais adequada para morar mas nunca deixou de ser o lugar preferido dela, a chácara não é grande, mas compensa na beleza e no equilíbrio que minha avó colocou no paisagismo do espaço, várias espécies dispostas em um jardim grande que cirdunda todo o contorno da casa que fica em um terreno de descida, ela sempre cuidou com muito carinho desse espaço e guardou móveis e memórias dos seus 98 anos.

Seria lá mesmo que faria as fotos, só precisava conferir se estava em condições para sustentar minhas idéias fotográficas, fui uma semana antes do shooting e me certifiquei o que precisava levar para complementar os cômodos.

No fim de semana que aconteceriam as fotos fui já na sexta pela manhã para ter a tarde toda para arrumar o espaço, levei minha avó comigo para arrumar tudo e ela me ajudou com uma felicidade que não cabia nela, no final do dia achei que ela detestaria a minha decoração e fiquei surpresa quando ouvi ela dizendo "ficou muito bom, vou deixar assim"!!!!

Trabalho concluído, no dia seguinte as fotos começavam cedo e madruguei para arrumar o que faltava e acabei escutando as orações matinais dela (não foi com maldade, minha avó tem muita dificuldade para ouvir então sempre ora muito alto, o que não dificulta escutar).

Na oração dela, ela pedia que a Deus (que é o superior religioso dela) que eu fosse muito bem sucedida na minha vida, que sempre fosse dedicada e esforçada e que ela gostaria de agradecer 'aquele pedacinho de terra que ele havia dado a ela e que estava fazendo a diferença na minha vida', achei a coisa mais fofa ouvir aquela oração sincera e pessoal.

Portanto sim, agradeço muito a herança da chácara da minha avó, lá tem sofás lindos, camas e colchas requintadas, penteadeiras dignas de prêmios de design e uma jardim fabuloso que talvez um dia pertençam a mim ou a meus irmãos e primos, mas a maior herança que eu poderia carregar para a minha história será sempre a presença da mulher que me doou a paixão pela costura e que torce muito por mim.

Obrigada vó!

Deixo abaixo uma mensagem que deixei no aniversário dela de 90 anos para ilustrar também nossa relação.



'Dona Hermínia, eu plantei algo muito grande dentro de mim, talvez seja a estúpida necessidade e desejo de ser exatamente como você é, com os mesmo defeitos, as mesma qualidades, a mesma seriedade, plantar isso dentro de mim tem sido um propósito desde que descobri a mesma paixão que você tem por costurar, não consigo achar nenhuma maneira, forma ou matéria que possa simplificar meus desejos de felicidade, sábado escolhi a minha máquina, achei pela internet e a vendedora era de Ponta Grossa, te liguei e pedi para que fosse comigo testá-la, você perguntou exatamente as coisas que procurei como informação para identifica-la como de qualidade, antes de irmos pensei nos tecidos para testar e quando cheguei no quarto de costura você já tinha os separado, assim como já tinha pego o óculos e a pinça que notei a falta, apenas eu e você descemos e a vendedora falou que tinha levado a pessoa certa para testá-la, chegamos na sala que a máquina estava e foi o mesmo olhar lançado, contei que estava começando uma confecção e que a paixão era de família já que costurava junto com a minha tia e filha dela, ficamos quietas um tempo e a mulher perguntou sobre a senhora e se ainda costurava, você falou que costurou mais de 60 anos, que sempre amou costurar e depois de um tempo falou que teve seis netas e que eu aprendi e levei a costura como profissão. Testamos todo o possível, já estava sem uso a cinco anos e portanto muito seca, ficamos por uma hora e meia testado ela, todo mundo cansado, você foi mexendo nela em silêncio, pedalou por mim já que não sou tão acostumada, ela é antiga, assim como nós haha, decidimos comprar, entramos no carro e você percebeu que fiquei insegura e falou todos os motivos de porque comprar ela foi um bom negócio e disse “flávia, essa máquina tem 80 anos e ainda faz ponto, claro que é boa” hahaha. Você tem orgulho de eu ter levado a costura para frente e acha a maior estupidez qualquer modernização e desvalorização disso, assim como eu, é exatamente esse tipo de momento que sempre tivemos que faz de nós grandes amigas! Hoje você completa 90 anos, e já tentei explicar milhões de vezes as pessoas o que há entre nós dimensionando esse amor entre a distância dos meus braços, gostaria de estar do seu lado, de te abraçar e poder não ouvir nada, como sempre gostamos do silêncio, talvez seja isso, sem falar muito falamos tudo, essa distância que tive que enfrentar de você é um obstáculo toda vez que tenho que te abraçar e dizer boa semana, todo domingo fica triste quando eu sou obrigada a quebrá-lo com uma viagem. Vó, você é a culpada do que hoje eu escolhi ser, e de como sou feliz costurando, com esse mesmo título, sem rodeios.

Você me mostrou um caminho, e é o que muita gente procura nessa vida, queria um dia poder retribuir isso.

Por hoje te desejo um mundo de felicidades, todo o amor que posso lhe oferecer e a minha eterna admiração.

Eu te amo muito, meus parabéns'




19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

mama